top of page

O que é logística reversa e porque ela é tão importante

Atualizado: 11 de mar.

A logística reversa é um conceito fundamental na gestão da cadeia de suprimentos, ligada ao processo de movimentação de produtos e materiais desde a origem até o consumidor. 


Logística reversa


Enquanto a logística tradicional foca na eficiência do fluxo de produtos da fabricação para o consumidor, a logística reversa lida com o retorno desses produtos, seja por devoluções, reciclagem, reuso, reparo, revenda ou descarte ambientalmente responsável.


Como a logística reversa impacta as Operações?


A implementação efetiva da logística reversa pode levar a uma melhoria significativa na eficiência operacional. Ao otimizar os processos de retorno de produtos, as empresas podem reduzir custos e melhorar a gestão de estoques. Além disso, a capacidade de reciclar e reutilizar componentes pode diminuir a dependência de matérias-primas, reduzindo assim os custos de produção.


No ambiente de negócios atual, onde a experiência do cliente é fundamental, a logística reversa oferece uma oportunidade de fortalecer a confiança e a lealdade do cliente. Uma política de retorno eficiente e sem complicações é muitas vezes um diferencial competitivo, incentivando os clientes a escolherem uma marca que ofereça maior conveniência e segurança na devolução de produtos.


Os diversos tipos de logística reversa


A logística reversa não é uma estratégia única, mas sim um conjunto de práticas diversificadas que visam otimizar o fluxo reverso de produtos de maneira eficiente e sustentável. 


Pós-consumo

Está relacionada ao retorno de produtos após o consumo pelo cliente final. Envolve a coleta e a gestão de produtos descartados ou devolvidos, com o objetivo de reciclar, reutilizar, reparar ou descartar corretamente.


Empresas de setores variados e, principalmente, e-commerces, implementam a logística reversa pós-consumo, para melhorar a eficiência operacional e para gerenciar seus resíduos de maneira responsável.


Pré-consumo ou pós-produção

Esta modalidade refere-se ao retorno de produtos antes mesmo de serem consumidos pelo cliente final. Geralmente, inclui a devolução de produtos de varejistas para fabricantes, seja devido a excesso de estoque, produtos sem procura ou problemas de qualidade. 


O objetivo é evitar que esses produtos entrem na cadeia de consumo e, assim, reduzir a produção de novos resíduos, evitando um grande volume de produtos parados pelos problemas mencionados anteriormente.


Pós-venda

Esse modelo se concentra nas devoluções de produtos após a venda, independentemente do motivo. Empresas que adotam políticas flexíveis de devolução podem implementar sistemas eficazes de pós-venda. 


Pós-uso ou final de vida útil

Trata do gerenciamento de produtos no final de sua vida útil. Isso inclui a coleta de produtos que não podem mais ser utilizados, como dispositivos eletrônicos desatualizados ou produtos desgastados. 


O objetivo é recuperar materiais para reciclagem ou reutilização, evitando que esses produtos se tornem resíduos prejudiciais ao meio ambiente.


Embalagens

Um tipo específico de processo se concentra nas embalagens. Empresas buscam estratégias para recolher e reciclar embalagens, reduzindo assim o impacto ambiental. Isso inclui a utilização de materiais de embalagem retornáveis e a criação de sistemas eficientes para a reciclagem de embalagens pós-consumo.


Acordos legais ou voluntários

Alguns tipos de logística reversa são implementados em resposta a acordos legais ou iniciativas voluntárias. De acordo com a legislação regional, pode se impor regulamentações que tornam a obrigatória para determinados produtos. 


Por outro lado, algumas empresas adotam práticas voluntárias como parte de suas responsabilidades sociais e ambientais. Gerando assim um maior envolvimento social, aumentando a confiabilidade e credibilidade para a empresa.


Como a logística reversa se diferencia da tradicional? 


A logística reversa se diferencia da logística tradicional principalmente pelo direcionamento do fluxo de produtos. Enquanto a tradicional se concentra em levar produtos do ponto de origem para o ponto de consumo, a logística reversa gerencia o retorno desses produtos após o consumo. 


Isso envolve atividades como devoluções de clientes, recuperação de embalagens, reciclagem de materiais e descarte adequado de produtos obsoletos.


Aplicações práticas do modelo logístico na cadeia de suprimentos


Além da teoria, a logística reversa apresenta uma variedade de aplicações práticas, desempenhando um papel fundamental na construção de cadeias de suprimentos mais sustentáveis e eficientes. 


Devoluções de produtos e gestão de resíduos


Um dos aspectos mais evidentes da logística reversa é a gestão eficiente das devoluções de produtos. À medida que as compras online aumentam, a capacidade de lidar com devoluções de maneira rápida e eficaz se torna essencial. 


As empresas estão desenvolvendo processos logísticos reversos que simplificam o retorno de produtos, minimizando custos e maximizando a satisfação do cliente. 


Além disso, controla a questão dos resíduos, reintegrando produtos ou materiais ao ciclo produtivo sempre que possível. Isso não apenas reduz o impacto ambiental, mas também pode gerar oportunidades de receita por meio da recuperação e reutilização de recursos.


Reciclagem e reuso de embalagens

A logística reversa desempenha um papel fundamental na promoção da sustentabilidade por meio da reciclagem e reuso de embalagens. Empresas inovadoras estão adotando embalagens retornáveis, reduzindo a produção de resíduos de embalagens descartáveis. 


Essa abordagem não apenas atende às demandas ambientais, mas também pode resultar em economias substanciais a longo prazo.


Etapas do processo de logística reversa


Com um processo dinâmico em várias etapas, a logística reversa está presente na gestão eficiente e sustentável do fluxo reverso de produtos. Confira essas etapas:


Coleta e recebimento

A primeira etapa é a coleta e recebimento dos produtos ou materiais retornados. Isso pode ser feito por meio de devoluções de clientes, recolhimento de produtos sem uso, ou até mesmo a coleta de embalagens vazias. 


Para garantir uma boa execução dessa fase, é necessária uma boa gestão para garantir que os itens retornados sejam rastreados adequadamente, e direcionados para o destino correto.


Triagem e classificação

Após a coleta, os produtos são submetidos à triagem e classificação. Itens danificados podem ser separados para reciclagem, enquanto produtos em boas condições podem ser preparados para reuso. 


A tecnologia desempenha um papel importante nesta fase, com equipamentos automatizados agilizando o processo de identificação e categorização, como as soluções oferecidas pela Pitney Bowes. Com produtos e projetos preparados  para otimizar etapas logísticas, garantimos mais eficiência e produtividade, com diversas possibilidades de integração.


Desmontagem e desativação

Em alguns casos, em setores como eletrônicos, a etapa de desmontagem pode ser necessária. Desativar produtos para recuperar componentes reutilizáveis é uma prática comum, já que assim, acontece a retirada completa dos materiais necessários para o fluxo reverso.  


Reparo e Refurbishment

Produtos que podem ser reparados são encaminhados para esta etapa. A reparação e o recondicionamento prolongam a vida útil dos produtos, reduzindo a necessidade de novas produções e minimizando o impacto ambiental. 


Dessa forma, a produção de novos componentes é minimizada, gerando menos gastos e diminuindo

operações desnecessárias.


Reciclagem

Os produtos que não podem ser reutilizados ou reparados são direcionados para a reciclagem. Esta etapa é essencial para recuperar materiais valiosos e reduzir a quantidade de resíduos enviados para aterros sanitários. Materiais como metais, plásticos e vidros, por exemplo, podem ser reciclados e reintroduzidos na cadeia de suprimentos.


Descarte adequado

Para produtos que não podem ser reciclados, o descarte adequado é essencial para evitar impactos ambientais negativos. Esta etapa inclui o tratamento seguro de resíduos, evitando a contaminação do solo, água e ar. 


Ao compreender e implementar efetivamente essas etapas da logística reversa, as empresas podem não apenas cumprir suas responsabilidades ambientais, mas também criar uma cadeia de suprimentos mais eficiente e sustentável. 


Conte com as soluções Pitney Bowes para uma logística reversa mais otimizada

Como dito anteriormente, a logística reversa, é uma prática que visa melhor desempenho operacional e sustentável para as empresas, como redução de custos, reutilização de materiais e garante o alinhamento da empresa com as práticas ESG.


Para facilitar esses e outros processos logísticos, conte com a Pitney Bowes e seus equipamentos de cubagem e sorters para classificação e roteirização de objetos.


Com sistemas integrados e automatizados, você torna a cadeia de suprimentos mais eficiente enquanto gera mais produtividade em suas operações. Desde equipamentos de pesagem até o uso de sorters modulares para tornar sua operação mais flexível,  as soluções da Pitney Bowes ajudam a tornar a logística mais inteligente, otimizada e sustentável. 


Não perca a oportunidade de impulsionar sua empresa em direção a uma abordagem mais responsável e eficiente. Entre em contato conosco para conhecer de perto as soluções que podem transformar a logística da sua empresa. Conheça nossas soluções.

Comments


bottom of page