NOVIDADES 

Especialistas discutem por que é preciso automatizar volumes em logística

Evento organizado pela Mundo Logística com apoio da Pitney Bowes mostrou como o avanço do e-commerce escancarou a demanda por tecnologia no setor

Efetuar uma entrega nos moldes tradicionais não é mais uma alternativa viável diante das demandas cada vez maiores do e-commerce. Esta constatação foi mostrada em números ao longo do webinar "Tendências Logísticas para 2021 - Processando altos volumes de encomendas no e-commerce", realizado pela Revista Mundo Logística e apoio da Pitney Bowes, empresa de tecnologia especializada em logística, encomendas e pacotes.

O evento contou com a participação dos especialistas no assunto, Júlio Pegna, diretor-executivo da ABComm-SC, Moisés White, executivo de vendas da Pitney Bowes, Marcio Hilgemberg, integrante da equipe da SSW Sistemas e Alex Nunes, responsável pelo time de Inovação da Ativa Logística. Para todos eles, os consumidores estão se habituando a comprar online e as vendas virtuais tendem a aumentar cada vez mais, o que implica na necessidade de adotar tecnologias para suportar este crescimento.

"Desde que a pandemia teve início, o varejo avançou uma década na digitalização de processos. Já vínhamos esperando a transformação digital gradual no setor, mas ela foi acelerada significativamente pela crise sanitária", afirma Júlio Pegna, da ABComm. Segundo ele, os empresários do varejo descobriram que as vendas online são muito mais lucrativas que as físicas, o que incentivou mais empresas a apostarem no e-commerce. "Isso significa que os embarcadores e transportadores terão muito mais trabalho daqui para a frente", diz ele.

Em 2020, o varejo online atingiu a marca histórica de R﹩ 87 bilhões em vendas, segundo pesquisa da Webshopper E-Bit Nielsen. Entre as regiões brasileiras que mais apresentaram crescimento em relação a 2019 está a Nordeste, com 107%, e a Norte, com 93%. Para Pegna, é preciso se preparar para atender estas regiões, já que as grandes massas de produção estão no Sul e Sudeste. "Para entregar mais é melhor, o diferencial está na tecnologia utilizada para a última milha. De modo geral, os operadores logísticos não têm estrutura para atender os e-commerces. Não há habilidade, nem tecnologia é comunicação", diz o especialista.

Moisés White, executivo de vendas da Pitney Bowes, afirmou que sempre existiram dificuldades logísticas no Brasil, como malha rodoviária deficiente frente as grandes distâncias, custos de combustível, etc. "Os problemas na logística no Brasil não vão se resolver de uma hora para outra, mas as empresas precisam se adequar, já que qualidade, eficiência e lucro andam juntos", opina o executivo. Para ele, é fundamental que a operação logística trate o e-commerce de maneira diferenciada.

Para esta finalidade, White destacou as tecnologias da Pitney Bowes voltadas para três universos da Logística - cubagem estática, cubagem dinâmica e sistemas de sorter (classificadores). "São soluções que aumentam a produtividade, garantindo agilidade, eficiência, flexibilidade, economia de tempo e segurança da informação. Isso sem mencionar a redução de erros por conta do trabalho manual e a redução de custos".

Marcio Hilgemberg, integrante da equipe da SSW Sistemas, falou sobre a plataforma 100% web e online da empresa, que pode auxiliar as transportadoras no trato de suas mercadorias e no processamento de suas entregas, bem como na disponibilização da informação em tempo real para o embarcador.

Já Alex Nunes, responsável pelo time de Inovação da Ativa Logística, apresentou as soluções da empresa como especialista logística especializada nos segmentos de saúde e beleza. A empresa atende 2.233 cidades em todo o Brasil, entregando 41 milhões de volumes ao ano.