NOVIDADES 

Especialista fala sobre os desafios da preparação de entregas na última milha do e-commerce


Samuel Caparrotti, Country Leader, da Pitney Bowes, diz que gerenciar a última milha com eficiência é um desafio

O conceito last mile ou última milha (trecho final do processo de entrega no destino indicado pelo cliente) representa uma etapa crucial na logística dos e-commerce, pois incide significativamente nos custos e determina se o cliente vai ou não ficar satisfeito. “Gerenciar a última milha com eficiência é um desafio porque o pacote, desde que sai do último ponto de distribuição até a chegada ao destino de entrega, encontra inúmeros obstáculos”, afirma Samuel Caparrotti, Country Leader, da Pitney Bowes Brasil, empresa de tecnologia especializada em soluções de logística.


Segundo uma pesquisa da Ebit/Nielsen em parceria com a Elo, o faturamento com as vendas on-line subiu 47% no primeiro semestre de 2020. Neste período, foram realizados mais de 90 milhões de pedidos que resultaram em um ganho de 38,8 bilhões de reais. Porém, acompanhando o crescimento de pedidos, vem também o aumento de reclamações: o Procon-SP recebeu mais de 120 mil queixas, um crescimento de 260% na comparação com o primeiro semestre de 2019, que teve um pouco mais de 30 mil reclamações no período. Os principais motivos foram a demora de entrega ou a não chegada das mercadorias adquiridas.



“Os e-commerces já entenderam a importância da última milha no processo de entrega, já que é nesse momento que o cliente estará mais ansioso e ligado nas atualizações e prazos dados pela empresa que lhe vendeu o produto”, reflete Samuel.





Para ele, não adianta ter processos eficazes e rápidos se o mais importante deles acaba por tropeçar. “A última milha proporciona uma boa imagem direta com o cliente final e é imprescindível que ela ocorra sem entraves. “Daí a importância de automatizar os processos, investindo em softwares e sistemas de gestão para contribuir no planejamento das rotas”, disse o Country Leader.


De acordo com o executivo, há hoje no mercado soluções que podem auxiliar na última milha, automatizando os processos de pesagem, cubagem e classificação. É o caso da balança dinâmica One Ship Dinâmica Premium, voltada a empresas com grande fluxo de volumes. “Este equipamento possui grande capacidade produtiva aliada à agilidade no processo de conferência de pesos e dimensões dos volumes transportados, além de fazer integração automática com ERP”.


Com um sistema de cadenciamento de volumes, esta balança dinâmica possui alta produtividade por conta da sua agilidade no processo de medição e pesagem de volume, conferência automática do peso e dimensões e leitura automática de código de barras. O retorno do investimento costuma ocorrer de três a seis meses, com ganho de rentabilidade total de 20%.


Outra solução que pode fazer a diferença é o OneShip Sorter, que são sistemas classificadores de volumes indicados para operações com grande fluxo. “Eles podem ser utilizados para várias aplicações, como separação de pedidos, classificação por rotas de entrega ou distribuição, conferência de notas fiscais, entre outros”, revela Samuel.


Entre os benefícios de um sorter na operação, está o aumento de produtividade com a mesma operação, segurança no manuseio das mercadorias, agilidade na triagem e roteirização, redução de erros, economia de tempo, otimização de custos, redução de avarias, maior rastreabilidade e muito mais.


“A tecnologia é uma grande aliada do avanço do e-commerce. As empresas que souberem aproveitar as inovações, certamente conquistarão um posicionamento de vanguarda”, finaliza o executivo.