top of page

Especialista explica como otimizar o lead time e quais são os impactos na logística

Atualizado: 5 de jun. de 2023

Executivo da Pitney Bowes aponta a importância de se gerenciar o tempo de espera do consumidor para receber seu produto em mãos e como evitar falhas




Em um mercado cada vez mais imediatista, consumidores buscam se relacionar com empresas que prometem fretes mais flexíveis e entregas mais ágeis. Partindo desse pensamento, otimizar as diferentes etapas de uma operação logística se torna essencial para que o tempo percorrido entre o pedido e a entrega sejam eficientes e assertivos.

Conforme explica Rafael Salim, Regional Sales Manager da Pitney Bowes, multinacional especializada em soluções de logística, envio de documentos, encomendas e pacotes, na busca por um fluxo aprimorado na cadeia de produção, destaca-se o conceito de lead time. “Ele se refere ao período total percorrido entre um pedido feito pelo cliente até que a remessa realizada e recebida por ele”, esclarece.

Segundo o executivo da Pitney, na logística e indústrias o lead considera cada etapa e material para mensurar todo o período necessário até a entrega final. “Dentre os benefícios do lead time vale ressaltar a acuracidade das informações, mais do que ter velocidade na preparação, separação e entrega, a coleta de dados, a leitura das informações e a integração entre os sistemas está entre os maiores ganhos”, salienta Salim.

Para se ter uma ideia da importância do lead time, de acordo com um levantamento do Capterra, 49% dos entrevistados declararam que a rapidez é o item mais importante na entrega dos pedidos, superando inclusive questões como preço. Isso mostra que os consumidores estão mais imediatistas em relação ao prazo de entrega das suas compras online.

Um relatório desenvolvido pelo E-commerce Brasil, juntamente com empresas parceiras, apontou que 50% dos usuários têm o prazo de entrega como principal tomador de decisão quando o assunto é comprar na internet. E há uma estimativa de que até 2026, cerca de 25% das compras online serão entregues no mesmo dia.

Contudo, Rafael explica que mensurar não é a solução, identificar os gargalos de uma operação, automatizar processos como picking, packing, recebimento, armazenamento e separação de itens podem influenciar no ganho eficiente do lead time, como é o caso das Lojas Torra, que conseguiu reduzir seu Lead Time após implantação do equipamento OneShip Sorter. Investir em equipamentos que permitem mais eficiência e agilidade na cubagem, por exemplo, pode agilizar também o ganho de frotas e fretes mais em conta, como é o caso da TRD Transportes, que utiliza uma das soluções da linha OneShip.

“O lead time não é um indicador que interessa apenas aos profissionais de logística, mas importa também ao consumidor. Proporcionar uma experiência diferenciada é fundamental para a permaneça deste cliente, o processo logístico iniciado a partir do último click do cliente não é visível, portanto, os prazos de resposta, e uma comunicação ajustada é extremamente importante para essa experiência, em um mercado cada vez mais competitivo respeitar e melhorar essa relação é o primeiro passo para uma construção de confiança, de fidelidade ao produto e serviço. Tempo com qualidade”, finaliza ele.



Commentaires


bottom of page